Portrait d'auteur: Antoine Saint-Éxupery

Antoine de Saint-Exupéry nasceu em 29 de junho de 1900, em Lyon. Filho do conde Jean-Marie de Saint-Exupéry e de Marie Boyer de Fonscolombe, nasceu em uma família da nobreza francesa, sendo o terceiro dos cinco filhos. Apesar da morte prematura de seu pai, em 1904, ele teve uma infância feliz e foi criado por sua mãe e sua avó.

 

Em 1915 foi educado em Fribourg (na Suíça), em uma escola secundária marianista, onde se formou em 1917. Depois de ser reprovado no exame de admissão da Escola Naval devido a seus resultados insatisfatórios em literatura, ele se inscreveu em uma escola de arquitetura onde ele estudou até o momento de sua partida para prestar seu serviço militar, em Strasbourg, na Força Aérea. Em 1922 ele obtém sua licença de piloto, mas em seguida sofre um acidente de avião e retorna à vida civil em 1923.

Alguns anos mais tarde, em 1930, é nomeado Chevalier de la Légion d'honneure encontra Consuelo Suecin, com quem se casa em 1931, sendo o mesmo período que passa a se dedicar ao jornalismo e à escrita. Ele realiza grandes reportagens no Vietnã (1934), em Moscou (1935) e na Espanha (1936).

Nesse ano, é contratado por um jornal espanhol para cobrir a guerra civil. Em 1939, é promovido à oficial da Légion d'honneur, e publica também seu livro « Terre des Hommes », baseado em reflexões acerca dos valores humanistas observados em suas viagens anteriores. Por este livro, ele ganha o Grand prix du roman de l'Académie française.

Após o armistício, ele deixa a França e se muda para Nova Iorque. Desejando ação, ele se junta, na primavera de 1944, na Sardenha e depois em Córsega, a uma unidade responsável pelos reconhecimentos fotográficos tendo em vista o desembarque em Provence. No entanto, ele desaparece no mar com seu avião em 31 de julho (este último só seria encontrado em 2000).

Sua obra privilegia uma moral de ação e de dever baseada na crença da grandeza do homem, temas estes que encontramos em seus romances: Voo Noturno (1931), Terra dos Homens (1939), Piloto de Guerra (1942). O Pequeno Príncipe, escrito em Nova Iorque, é publicado com suas próprias aquarelas em 1943 (nos EUA) e em 1946 (na França).