Entendo o espanto e tranquilizo logo meus leitores: esse artigo não é sobre escargots, iguaria muito apreciada pelos franceses e que nos parece um tanto…exótica, digamos assim.

Vim aqui para falar sobre outro tipo de caracol, um caracol simbólico, e, ao mesmo tempo, muito concreto. Já explico melhor.

O caracol que nos interessa surgiu no ano de 1860 e foi criado pelo então prefeito de Paris, o famoso Baron Haussmann. Ele conduziu importantes reformas urbanísticas, buscando modernizar a capital francesa. Surgiram, então, as largas avenidas parisienses, convidando seus habitantes a flâner entre os prédios ornamentados de charmosos balcões, permitindo àquele que passeia ver e ser visto.

E o nosso caracol nisso tudo? No âmbito dessa grande reforma, o Barão Haussmann decidiu adotar uma nova divisão geográfica e administrativa para Paris, recortando a cidade em 20 bairros, que são conhecidos como “arrondissements”. Em francês, nos referimos ao primeiro arrondissement, ao segundo arrondissement e por aí vai até chegar no vigésimo arrondissement.

Quem já planejou férias na capital francesa, certamente, se deparou com um mapa da cidade e com os famosos arrondissements, que podem, à primeira vista, parecer um tanto confusos. Plus maintenant ! Eis o segredo por trás dos arrondissements: eles estão organizados em forma de espiral, partindo do centro da cidade, com o premier arrondissement, e continuando o círculo para fora, no sentindo horário, até chegar no 20ème arrondissement. No final das contas, a espiral ficou com o formato do casco de um caracol! Agora, tudo faz mais sentido, n’est-ce pas

“Legal! E a Seine, o rio que atravessa a cidade?” poderão indagar os mais curiosos… Esclareço que nenhum arrondissement precisou ser sacrificado nesse recorte, todos preservaram sua integridade e se encontram ou do lado esquerdo do rio (ao sul da cidade), é a chamada rive gauche ou do lado direto, a rive droite. De certa forma, pode-se dizer que, entre o 7ème e o 8ème é um pulo! (Veja o mapinha abaixo 😉).

Vídeo “Paris est un escargot” – Unité Didactique Segura_Lacaille do canal Celina Haerr

Cada arrondissement, tal como os bairros na maioria das grandes cidades, têm um universo próprio. Se quiser descobrir um pouco mais sobre a atmosfera e o perfil de alguns desses arrondissements, vale a pena conferir essa curta animação abaixo que mostra, de forma bem-humorada, alguns clichês que os próprios parisienses associam aos seus “bairros”.

 

E, aqui, vai uma dica: 5ème, 6ème, 7ème, … O número do arrondissement deve ser seguido do sufixo “ème”, pois trata-se de uma enumeração, do primeiro ao vigésimo. Para se referir ao sétimo arrondissement, deve-se dizer le septième arrondissement ou, simplesmente, le 7ème, para os mais íntimos. Agora, quando você for contar sobre sua viagem a Paris, você já pode dizer que foi ao Musée d’Orsay no 8ème, provou uma crêpe deliciosa no 15ème e ainda passeou pela Île Saint-Louis no 4ème, esbanjando toda a sua familiaridade com a cidade-luz. Pas mal, non ?

Paris é um caracol! Et oui !

A la prochaine !

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar