KPG - Burkina Faso

Kientega Pingdéwindé Gérard, conhecido como KPG, é um Artista comediante e contador de histórias nascido em Burkina Faso (África) de uma casta de ferreiros. Começou sua carreira em 1997 dedicando-se a arte teatral e ao conto. Ele é fundador e diretor de um centro educativo e cultural Koombi em Burkina Faso. Participou de inúmeros festivais de contos pelo mundo e foi medalha de prata no VI jeux de la Francophonie em 2009.

Antigamente em Burkina Faso, quando se ouvia o barulho do martelo em contato com a bigorna, quando se ouvia o som do fole que ativava o fogo, era o que aproximava a aldeia misteriosa dos ferreiros...
KPG entrelaça contos, narrativas, provérbios, músicas e cantos para compartilhar uma visão da África lúcida e orgulhosa. Se ele busca aproximar a sociedade tradicional da sociedade moderna, não é sem ousar mostrar suas contradições, seus paradoxos e as fraturas que decorrem dessa reconciliação.

Muriel Bloch - França

Muriel Bloch é contadora de histórias desde 1979, na França e no exterior. Seu repertório inclui contos, mitos e textos literários originários dos 5 continentes, direcionados a públicos de todas as idades. Seu repertório conta com mais de 1000 narrativas que ela adapta em função da demanda, do lugar, do momento e do seu público.

Dans le ventre d’Anansi/No ventre da Anansi
“Da maneira Anansi”, a aranha bem conhecida do oeste africano- Muriel Bloch tece e tece novamente contos, cada vez de forma diferente, com humor, raiva e afeição.
As palavras da contadora e as músicas, cantos de João Mota, se reencontram com grande cumplicidade e também com uma grande parte de improvisação. As escolhas dos contos serão dadas em conexão com o público. Os contos serão sobre a África do Norte, Haiti, França, Angola etc.

Ilana Pogrebinschi

Ilana Pogrebinschi é contadora de histórias há 15 anos. Tem um trabalho solo e também é integrante do grupo Os Tapetes Contadores de Histórias. Ilana Pogrebinschi foi uma das fundadoras da Cia. de Teatro Atores de Laura e trabalhou como atriz de 1991 a 1998 com diversos espetáculos premiados. Em junho de 1997, com Romeu & Isolda representou o Brasil na Biennale Theatre Jeunes Publics - Lyon/França. Contadora de histórias desde 2000 já se apresentou no Simpósio Internacional de Contadores de Histórias, na Maratona de Contos do Teatro Dulcina, no Festival de Contadores do CCBB , no programa ABZ do Ziraldo na TV Brasil, em diversas unidades do SESC, centros culturais, entre outros. Ministrou oficinas de formação de Contadores de Histórias na Casa da Leitura da Gameleira no Acre, em Angra dos Reis, em Saquarema, em Niterói, São Gonçalo e no Rio. Também é integrante do grupo Os Tapetes Contadores de Histórias e participa de apresentações em São Paulo, Brasília, Salvador, Santa Catarina, Curitiba, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Participou de Oficinas de Histórias com Hassane Kouyaté (África), Ana Sofia Paiva (Portugal), Liliana Cinetto (Argentina), Henrique Paez (Espanha), Beatriz Monteiro (Espanha), Alícia Barberis (Argentina), Sérgio Bello (SC), Francisco Gregório (RJ), Warley Goulart (RJ), Deka Teubl e Sônia Sampaio (RJ)

Os três vestidos, os três conselhos e os três filhos
Serão apresentados dois contos brasileiros e um africano.
Primeiro, um casal que vive de favores numa fazenda do interior. O homem sai da casa a procura de trabalho. Antes de ir embora, pede à esposa que seja fiel a ele, pois ele também o será. No segundo conto brasileiro é revelado porque o mar tanto chora. O terceiro conto vem da África: um grande patriarca lança um desafio para seus três filhos com o objetivo de escolher quem cuidará da tribo depois que ele se for.

Dorient Kaly

Artista comediante, marionetista, contador e administrador do festival RIAPL (Encontros Itinerantes das Artes da Palavra e da Linguagem). Dorient Kaly chega ao teatro em 1996. Em 2013 ganhou a medalha de bronze do 7ème jeux de la Francophonie. Ele trabalhou com os diretores de cinema: Corneil Boussouhou, Didace Moudounga, Jean Jules Koukou, Julien Bissila, Dieudonné Niangouna e Rodrigo Garcia (Agamenon, no Festival Mantsina sur scène; Brazzaville-Congo), depois Kamel Ouali (crianção para o Festival Cultural Panafricano de Alger 2009).

Seu encontro com o teatro de marionetes se fez em 2001, depois ele trabalhou com a companhia MARICO (Marionetes do Congo) Conte Duo do qual ele é co-fundador. Ele anima assim vários ateliês de fabricação e manipulação de marionetes e máscaras africanas, para estudantes e crianças de rua (Espaço Marico, Espaço Tiné em Brazzaville), ex-crianças soldados (festival Mingadji e espaço Massolo em Kinshassa), das crianças doentes, crianças de bairro, etc.

Qu’est-ce qu’on raconte chez vous?
O velho tio Mutubulu conta que todas as histórias caem do céu como gotas de chuva. Os homens sábios as juntam, depois eles viajam pelo mundo. É assim que as histórias nunca envelhecem. Mas todas as histórias já foram contadas? Aqui está uma...

Mónica Chiesa

Ensinando na Aliança francesa de Buenos Aires, Mónica Chiesa se especializou na oralidade. Da aprendizagem em aula, a contadora evoluiu para contos sob a forma de espetáculos para adultos e crianças em francês e espanhol. Após várias representações em alianças francesas e estabelecimentos escolares, nomeadamente na Argentina, no Brasil e no Equador, Mónica Chiesa participou à Feira do Livro parisiense em que sua apresentação foi retransmitida em direto em Nova Iorque, Casablanca e Paris.

Itinérances/ Itinerantes
Caminho, viagem, aventuras.
Uma contadora poliglota.
Alquimia das cores, dos sabores e de perfumes, a artista caminha na cadência de sua voz pelas histórias de ontem e de hoje.

François Lemaître

Há anos, François Lemaître conta histórias para crianças, adultos, nas escolas, bibliotecas, cafés. Il trabalhou com René Martinez e Patrick Fishmann e propõe um repertório variado de contos, maravilhosos e filosóficos vindos da tradição oral com uma preferencia por histórias sobre a mitologia grega.

Le moulin à paroles /O moinho de palavras
Sobre a chaminé do meu avô, havia um moinho de café. Hoje, ele me serve para contar histórias, é meu moinho de palavras: contos das origens, contos filosóficos, para fazer rir, para causar medo ou para refletir.

Victor Ribeiro

Graduado em Letras – Português/Francês pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Victor dedicou dez de seus 23 anos à prática teatral. Sua formação abrange, sobretudo, o trabalho de máscaras e a pesquisa em teatro físico, com profissionais como Célia Bispo (Companhia Teatral Nosconosco), Renato Ferracini (LUME Teatro), Serge Poncelet (Théâtre Yunqué) e Vincent Rouche (Compagnie du Moment). Com experiência ampla em teatro infanto-juvenil e clown, atualmente vem desenvolvendo parceria com a Aliança Francesa no trabalho voltado para a contação de histórias, mais especificamente na interface entre as línguas estrangeiras e a linguagem do corpo do ator nessa mediação.

Do pó à palavra
No início era o verbo. Do verbo, a noite. Da noite, os bichos. Dos bichos, a gente. Da gente, o conto.
No espetáculo, a palavra e a criação dão o tom em cinco contos, que reúnem Brasil, França, África negra através de um jogo entre línguas.

João Mota

Pedir release Tati

Mostra Francofonia 2015
De 16 a 19 de novembro de 2015  |  Auditório da AF Botafogo e Auditório da AF Tijuca

O evento

Nos dias 16, 17, 18 e 19 de novembro, antecedendo as comemorações do dia da Consciência Negra, a Aliança Francesa do Rio de Janeiro realiza o evento “Rodízio de contadores de histórias”, em francês “Rodéo des Conteurs”, promovendo o intercâmbio entre heranças das culturas negra brasileira e lusófona com a francófona por meio das línguas.

O evento faz parte da programação comemorativa dos 130 anos da presença da Instituição no Rio de Janeiro e no Brasil. A entrada é gratuita e os espetáculos acontecem às 19h e terão a duração de aproximadamente duas horas.

Durante toda a semana serão realizadas apresentações simultâneas nos auditórios da Aliança Francesa em Botafogo e na Tijuca, com um contador francófono e um brasileiro, a fim de estabelecer pontes entre as culturas.

A programação conta com sete contadores: os brasileiros Victor Ribeiro e Ilana Pogrebinschi; os franceses François Lamaitre e Muriel Bloch; a argentina Mónica Chiesa; e os africanos Dorient Kaly e Kientega Pingdéwindé Gérard.

O encerramento do festival, no dia 19, será realizado exclusivamente no auditório Aliança Francesa Tijuca e terá a presença especial do músico Manu Dibango, eleito Grande Testemunha da Francofonia nos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos do Rio 2016 em que a língua francesa é o primeiro idioma oficial do maior evento esportivo mundial.

O “Rodéo des Conteurs” é realizado com o apoio da Organização Internacional da Francofonia (OIF – Organisation Internationale de la Francophonie) junto com a “Grande Testemunha da Francofonia nos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos do Rio 2016”.

Os Conteurs

KPG
Burkina Faso

  infos

Muriel Bloch
França

  infos

Ilana Pogrebinschi
Brasil

  infos

Dorient Kaly
Congo

  infos

Mónica Chiesa
Argentina

  infos

François Lemaître
França

  infos

Victor Ribeiro
Brasil

  infos

Programação

16 17 18 19
Auditório da Aliança Francesa Botafogo
  • 19h Victor Ribeiro e
    Muriel Bloch

    Evento em francês e português
  • 19hFrançois Lemaître e KPG

    Evento em francês
  • 19hDorient Kaly e Ilana Pogrebinschi

    Evento em francês e português
  • -
Auditório da Aliança Francesa Tijuca
  • 19hMónica Chiesa e
    Ilana Pogrebinschi

    Evento em francês e português
  • 19hMónica Chiesa e
    Muriel Bloch

    Evento em francês
  • 19hVictor Ribeiro e
    François Lemaître

    Evento em francês e português
  • ENCERRAMENTO
    19h
    Dorient Kaly e KPG

    Evento em francês

Endereços

ALIANÇA FRANCESA
DE BOTAFOGO

Rua Muniz Barreto, 730 – Botafogo
ENTRADA FRANCA
SUJEITA À LOTAÇÃO.

ALIANÇA FRANCESA
DA TIJUCA

Rua Andrade Neves, 315 – Tijuca
ENTRADA FRANCA
SUJEITA À LOTAÇÃO.

Realização